Palestinos falam em trégua; Israel rejeita

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, adotou um tom conciliador em seu discurso nesta terça-feira. Segundo um assessor do líder palestino, Arafat deseja uma trégua com Israel, mas não formulou uma proposta concreta. Do lado israelense, o governo não deu importância ao gesto de Arafat e reiterou que suas ações militares só vão parar com o desmantelamento dos grupos extremistas. Arafat falou a cerca de 2.500 palestinos que foram à sua base na Cisjordânia. ?Dizemos aos partidários da paz em Israel que estendemos nossa mão para reviver a paz?, disse ele. O assessor de segurança de Arafat, Jibril Rajoub, afirmou que os palestinos vão propor uma trégua mútua em breve, ?baseada no fim da violência de ambas as partes?.Mas para o governo de Israel ainda vale sua decisão da semana passada. Ainda como resposta aos atentados em Jerusalém e Tel Aviv que deixaram 15 mortos na semana passada, o gabinete de Ariel Sharon já decidira não aceitar propostas de trégua vindas dos palestinos. Um deputado israelense, que está em Washington, disse que ?não há necessidade de dar oportunidade a uma trégua que não inclua desmantelar todos os grupos terroristas?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.