Palestinos fogem após alerta de Israel sobre ataques

Centenas de famílias palestinas fugiram nesta quarta-feira depois de Israel ter intensificado seus ataques aéreos contra alvos do Hamas, o que incluiu as casas de líderes do grupo, após o fracasso do projeto de cessar-fogo apresentado pelo Egito.

Agência Estado

16 Julho 2014 | 11h29

Antes de lançar novos bombardeios, Israel advertiu dezenas de milhares de moradores das regiões que fazem fronteira com seu território para que deixassem suas casas.

O número de palestinos mortos em nove dias de ofensiva subiu para 204, com 1450 feridos. Pelo menos 39 crianças e 24 mulheres estão entre os mortos, informaram autoridades palestinas. Apenas um homem israelense morreu e algumas pessoas ficaram feridas no território de Israel desde o início dos confrontos, no dia 8 de julho.

A Acnur, a agência para Refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU), disse que cerca de 3 mil palestinos foram recebidos em abrigos improvisados durante a noite.

Os novos ataques aéreos israelenses acontecem um dia depois de Israel ter aceitado a proposta de trégua apresentada pelo Egito, mas recusada pelo Hamas, que lançou mais foguetes contra Israel. Embora o grupo considere o possível alívio do bloqueio a Gaza importante para sua sobrevivência, seus integrantes não confiam no atual governo egípcio.

Com o fracasso da proposta de cessar-fogo, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu que o Hamas pagaria um preço alto por ter rejeitado a oferta.

Dezenas de milhares de moradores da cidade de Beit Lahiya, norte do território, e dos bairros de Zeitoun e Shijaiyah, na cidade de Gaza, receberam comunicados de Israel para que saíssem de suas casas até as 8h desta quarta-feira. Os avisos foram feitos por mensagens de texto enviadas para telefones celulares, mensagens gravadas de voz, também para telefones móveis, e panfletos lançados de aviões.

Na mensagem, Israel diz que uma grande quantidade de foguetes foi lançada dessas áreas e que o governo planeja bombardear a região. "Quem quer que desconsidere essas instruções e não se retire imediatamente, põe em risco a própria vida, assim como a de seus familiares", diz o texto. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Israel Faixa de Gaza ataques moradores fuga

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.