Palestinos marcham para comemorar aniversário da Al-Fatah

Milhares de palestinos, muitos deles portando armas ou pedras, marcharam hoje nas cidades e povoados da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, para comemorar o aniversário da principal corrente da Al-Fatah, o movimento fundado por Yasser Arafat, numa demonstração de força interna e desafio à ocupação israelense.No norte da Faixa de Gaza, colonos disseram que três palestinos armados tentaram infiltrar-se num assentamento judeu ao anoitecer. Soldados israelenses atiraram neles e os mataram. Os militares não comentaram o episódio de imediato. Militantes palestinos freqüentemente tentam atacar as colônias judaicas em Gaza. Tropas israelenses mantiveram hoje a vigilância nas cidades e campos de refugiados, na tentativa de evitar incidentes violentos, permitindo a marcha pacífica pró-Fatah. Desde junho, as forças israelenses mantêm o controle da maioria dos centros populacionais da Cisjordânia, em resposta a uma série de atentados suicidas palestinos dentro de Israel. As marchas em comemoração ao 38º aniversário da fundação da Al-Fatah realizaram-se após 27 meses de conflitos entre israelenses e palestinos. A Fatah, liderada pelo líder palestino Yasser Arafat, luta constantemente pelo predominância sobre outros movimentos de militantes islâmicos, como o Hamas e a Jihad Islâmica. A vasta adesão à marcha reforça a afirmação de poder da Al-Fatah. Mais cedo, tropas israelenses haviam destruído duas moradias de militantes palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza - em Nablus, a de um atacante suicida que pertencia às Brigadas de Mártires de Al Aqsa; e no campo de refugiados de Khan Younis, em Gaza, a de Yassin Agha, um membro do Hamas morto no início de dezembro, disse o Exército.Mais tarde em Nablus, os manifestantes queimaram um boneco em tamanho natural do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, e uma criança carregando um grande cartaz do governante iraquiano Saddam Hussein desfilou ao lado de outras pessoas que levavam posters de Yasser Arafat.Em Jenin, no norte da Cisjordânia, atiradores portando rifles M-16 e turbantes estampados em branco e preto, no estilo da Al-Fatah, desfilaram em carros abertos. Grandes multidões também ocuparam as ruas das cidades e povoados da Faixa de Gaza; em Khan Younis, os manifestantes ostentaram uma grande bandeira iraquiana e em Rafah, na fronteira com o Egito, e no campo de refugiados de Jabaliya, perto da cidade de Gaza, centenas de homens desfilaram armados enquanto as crianças assistiam ao desfile nas calçadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.