Palestinos matam 12 e ferem 20 em emboscada

Pelo menos 12 israelenses morreram e mais de 20 ficaram feridos, dos quais vários em estado grave, no início da noite deste sábado (horário local) num ataque a tiros e granadas de um número indeterminado de extremistas palestinoscontra colonos judeus que se dirigiam do assentamento judaico de Kiryat Arba para a Tumba dos Patriarcas, no Centro de Hebron, naCisjordânia.O grupo armado disparou com metralhadoras automáticas contra colonos e os soldados que os escoltavam, por volta das 19 horas(15 horas em Brasília), quando estavam no chamado caminho dos fiéis, que leva ao túmulo. Eles iam participar das cerimônias religiosas para marcar o Sabá, o período sagrado de descansosemanal dos judeus (que vai do pôr-do-sol de sexta-feira ao de sábado).Quando os soldados encarregados da escolta deles correram para o socorro, também ficaram sob fogo de franco-atiradores postados na parte alta do bairro árabe de Abu Sneineh. Teve início entãoum tiroteio, e o Exército israelense empregou tanques para desalojar os extremistas. Não há informações sobre as vítimas do lado palestino.Fontes militares disseram que o comandante dabrigada regional, um coronel, e membros de sua unidade, estão entre os feridos. O confronto dificultou o socorro aos feridos,que demorou pelo menos 40 minutos, segundo a Rádio Israel.O chefe do grupo fundamentalista Jihad Islâmica, Ramadan Shallah, assumiu a autorida da emboscada em um telefonema à emissora de TV por satélite Al Jazira, anunciando tratar-se deuma retaliação à morte por forças de Israel de um de seus líderes, Iyad Sawalha, num atentado à bomba em Jenin, na semana passada."Eu cumprimento nossos heróicos mujahidin (combatentes islâmicos), que conseguiram realizar essa notável operação, da qual tomaram parte membros das Brigadas Jerusalém, o braçoarmado da Jihad na Palestina", disse Shallah, que reside normalmente na Síria. "É uma resposta ao assassinato do líder das Brigadas Jerusalém no norte da Cisjordânia, o mártir Iyad Sawalha.Segundo a tradição judaica, cristã e muçulmana, no Túmulo dos Patriarcas estão enterrados Abraão, Isaac e Jacó. O local é reverenciado pelas três religiões e disputado por árabes e judeus.Debaixo de um monumento religoso que une uma mesquita a uma sinagoga está a tumba. Na cidade de Hebron vivem cerca de 450 colonos judeus encravados no Centro velho e fortementeprotegidos pelo Exército de Israel, em meio a uma população de 120 mil palestinos muçulmanos.Como resultado dos acordos de paz de Oslo, Hebron se tornou em 1997 uma das cidades autônomaspalestinas da Cisjordânia, mas Israel ficou com o controle do bairro onde vivem os colonos e áreas árabes vizinhas habitadas por cerca de 30 mil palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.