Palestinos matam dois israelenses em ataque

Um palestino abriu fogo nesta quarta-feira contra o assentamento judaico no qual trabalhava, na Faixa de Gaza, e matou seu empregador e um outro israelense antes de ser morto, informou o Exército de Israel.O grupo islâmico Hamas assumiu a responsabilidade pelo ataque contra o assentamento de Shalev. O homem armado foi identificado como Ismail Braeff, de 25 anos, proveniente de Khan Younis, na Faixa de Gaza.Segundo o Hamas, o atentado foi uma retaliação às ações militares do Estado judeu em Nablus (Cisjordânia) e no campo de refugiados de Rafah (Gaza), na fronteira com o Egito.Braeff abriu fogo quando seus empregadores, alertados pelo Exército de que um ataque estaria prestes a ocorrer, pararam os trabalhadores e os reuniram para uma nova revista de segurança, disse o coronel Pinky Zoaretz. Neste momento, Braeff matou seu empregador, correu para o interior de uma tecelagem e matou um outro israelense."Ele atirou um pouquinho e eu o matei", disse Kobi Haddad, chefe de segurança de um assentamento próximo, em entrevista à Rádio de Israel.Devido aos alertas sobre a iminência de um ataque, Zoaretz disse que o Exército adotou medidas especiais de precaução quando começou a revistar os trabalhadores palestinos que chegavam aos assentamentos judaicos. Foram estabelecidos limites sobre quem poderia entrar nas comunidades, disse ele, causando tensão com os colonos, que dependem da força de trabalho dos palestinos.O incidente ocorreu algumas horas depois de a polícia israelense ter detido cinco árabes suspeitos de "atividade terrorista" nos arredores do Aeroporto Ben Gurion, em Tel Aviv. A polícia não informou se os suspeitos eram palestinos ou árabes israelenses, nem se estavam armados.Também não estava claro se o grupo pretendia atacar o aeroporto internacional, mas a polícia interditou diversas avenidas importantes.Avi Pazner, um porta-voz do governo, disse que as forças de segurança israelenses receberam pelo menos 60 alertas de que palestinos estariam planejando ataques.Em Jenin, no extremo norte da Cisjordânia, soldados israelenses conduziram buscas de casa em casa num bairro do centro. Todos os homens com mais de 15 anos foram detidos, denunciaram testemunhas palestinas. A informação foi confirmada pelas autoridades israelenses.No campo de refugiados de Balata, nos arredores de Nablus, soldados detiveram sete vizinhos de um militante suicida que detonou os explosivos atados a seu corpo na cidade israelense de Kfar Saba, na segunda-feira, causando a morte de dois israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.