Palestinos no Brasil pedem ajuda do governo para terem seu Estado

A comunidade palestina do Rio Grande do Sul promoveu duas manifestações pela paz nesta quarta-feira, pedindo que o governo brasileiro participe das pressões internacionais pelo fim da ocupação israelense na Cisjordânia e Faixa de Gaza. "Assim como Osvaldo Aranha participou da criação de Israel, os brasileiros podem ajudar a criar o Estado palestino", disse o advogado Ali Samali, um dos participantes da caminhada que reuniu centenas de pessoas nas ruas centrais de Porto Alegre. No fim da tarde, os palestinos concentraram-se na Esquina Democrática, onde queimaram bandeiras dos Estados Unidos e de Israel e um boneco representando o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon.Um dos manifestantes, Ahmed Hassen, conseguiu sair de Ramallah no último final de semana e disse que enquanto Sharon estiver no poder será difícil alcançar a paz.Os comerciantes árabes da rua Voluntários da Pátria fecharam as portas das lojas para acompanhar a manifestação, que teve cartazes de Yasser Arafat e bandeiras da Palestina.Em Chuí, na fronteira com o Uruguai, outro grupo percorreu as ruas da cidade com fotos de parentes feridos ou mortos nos conflitos e faixas criticando Sharon e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. Os cálculos da comunidade indicam que 15.000 palestinos ou descendentes vivem no Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.