Palestinos pedem reparação de Israel por assentamento

Os palestinos da Cisjordânia querem que Israel os indenize por permitir que cidadãos israelenses construam ilegalmente assentamentos em suas terras. Ontem, cinco palestinos apresentaram uma queixa de US$ 430 mil em uma corte de Jerusalém, acusando o Estado de Israel de "ajudar os ladrões por atos e omissões". A ação trata de um desorganizado assentamento chamado Migron. O Ministério da Justiça israelense ainda não comentou o caso. O Estado de Israel tem 29 dias para entregar sua defesa. Os assentados dizem que não pretendem sair do Migron, ao norte de Jerusalém e um dos maiores assentamentos levantados nos últimos 15 anos.Ainda hoje, o líder exilado do Hamas, Khaled Meshal, afirmou que as conversas sobre a liberação de um prisioneiro israelense estão paralisadas. O jornal francês Le Figaro citou Meshal na edição de hoje. Segundo o líder, os negociadores israelenses sempre voltam a tópicos já decididos anteriormente.O jornal informou que a entrevista foi dada por Meshal de sua residência em Damasco, na Síria. O prisioneiro é o soldado Gilad Schalit, capturado por militantes há dois anos. O Hamas quer trocar Schalit por centenas de prisioneiros palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.