Palestinos pedirão que EUA intervenham na colonização de Israel

Assessor de Mahmoud Abbas diz que ANP também solicitará o reconhecimento do Estado palestino

Agência Estado

21 de outubro de 2010 | 13h46

RAMALLAH - A Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu aos EUA nesta quinta-feira, 21, que reaja ao "desafio" da intensificação da construção de novos assentamentos israelenses no território ocupado da Cisjordânia. As informações são da agência AFP.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo Idas e vindas das negociações

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

 

"Este desafio contra os palestinos, os árabes e a administração americana exige uma resposta árabe, internacional e, em particular, americana", declarou Nabil Abu Rudeina, porta-voz de Mahmoud Abbas, presidente da ANP.

 

Nesta quinta, o jornal israelense Haaretz publicou uma reportagem citando um estudo que diz que a taxa de crescimento dos assentamentos israelenses na Cisjordânia é quatro vezes maior desde o fim de uma moratória que paralisou a expansão que o nível de dois anos atrás.

 

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, decretou a moratória em novembro do ano passado como uma medida para tentar atrair os palestinos para as negociações. As conversas diretas foram retomadas neste ano, mas o israelense disse que não renovaria a medida. Os palestinos, por sua vez, ameaçaram se retirar do processo caso as construções fossem retomadas.

 

Os palestinos exigem uma nova moratória para que o diálogo tenha continuidade A Liga Árabe aprovou a posição de Abbas e concedeu a Washington o prazo de um mês - que vence no próximo dia 8 - para resolver o impasse.

 

Leia mais:

linkConstruções na Cisjordânia estão aceleradas, diz Haaretz

 

Um assessor de Abbas, Nimr Hamad, declarou que o líder palestino pedirá aos EUA que reconheçam o Estado palestino com base nas fronteiras de antes de 1967 e que Washington reaja à colonização israelense. "Ante a resistência de Israel em continuar com a colonização e dado que o governo americano pediu em várias ocasiões o fim da ocupação que começou em 1967, assim como o estabelecimento de um Estado palestino, vamos pedir que Washington reconheça oficialmente o a nação palestina", disse. A data para o pedido ser feito, porém, não foi revelada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.