Palestinos pretendem formar novo governo nos próximos dias

Fontes palestinas disseram nesta segunda-feira que pretendem formar governo único de identidade nacional nos próximos dias, mas reconheceu que alguns acordos, como a formação da Força de segurança e os destino da milícia do Hamas ainda não foram firmados.Líderes do Hamas e do Fatah deixarão seus cargos nos próximos quatro dias para iniciarem formação do novo governo de coalizão. No entanto, o Hamas disse que não pretende aceitar Israel.Sob o acordo de distribuição de poder feito na semana passada em Meca, Arábia Saudita, o Hamas deve se unir ao rival Fatah para a formação de um governo de coalizão nos próximos dias.Os dois grupos concordaram com a divisão dos postos no governo, mas não decidiram os nomes dos ministros que irão ocupar os cargos. Uma questão não resolvida será o ministro do Interior, que ficará responsável pelas tropas de segurança.O acordo também não contemplou o destino da milícia do Hamas, que foi formada em 2006 contra a vontade do presidente palestino, Mahmoud Abbas.O primeiro-ministro do Hamas, Ismail Haniyeh, retornou para Gaza nesta segunda-feira e reforçou que pretende iniciar o processo da nova coalizão nos próximos dias."Hamas não mudou"O deputado palestino Mushir Al-Masri, do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas), afirmou nesta segunda-feira em uma assembléia estudantil na Universidade de Gaza que seu partido não reconhecerá o Estado de Israel e não abandonará a luta armada."O Hamas é o mesmo Hamas de antes da formação do governo de unidade", afirmou Masri, em alusão às negociações para formar uma coalizão com representantes do movimento nacionalista Fatah, na oposição parlamentar.A negativa do Hamas a reconhecer o Estado de Israel contrasta com a posição de Abbas, que necessita de uma mudança de posição dos islâmicos para poder iniciar negociações com o governo israelense para a criação de um Estado palestino independente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.