Palestinos processam embaixador israelense

Sete refugiados palestinos que foram submetidos a torturas em Israel entraram hoje com um recurso na justiça da Dinamarca contra o embaixador israelense no país, Carmi Gillon, que assumiu o posto na quarta-feira. O diplomata foi chefe do serviço secreto interno, o Mossad, e admitira na TV pública de seu país ter ordenado torturas. No entanto, o Ministério da Justiça da Dinamarca já deixou claro que ele tem imunidade diplomática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.