Palestinos que ajudam Israel são mortos em hospital

Dois palestinos condenados por colaboração com Israel foram assassinados em seus leitos de hospital na Faixa de Gaza, informaram autoridades locais e testemunhas. No primeiro incidente, cinco homens armados invadiram o Hospital Shifa, na Cidade de Gaza, na manhã desta segunda-feira e assassinaram um homem condenado por colaborar com Israel.Mahmoud al-Sharef havia sido internado poucas horas antes, depois de ter ficado ferido na explosão de uma granada no presídio palestino onde estava detido. Depois da morte, a polícia interrogou um suspeito de participação no ataque que disse ser um parente da vítima, disposto a limpar a vergonha que pesava sobre a família, disseram autoridades locais.Não ficou claro se o suspeito interrogado pela polícia chegou a ser detido. O destino de seus quatro cúmplices é desconhecido. Al-Sharef foi condenado em 1999 por envolvimento no assassinato de Mahmoud al-Khawja, fundador do braço armado da Jihad Islâmica, quatro anos antes.Poucas horas depois da morte de Al-Sharef, palestinos armados voltaram a invadir o Hospital Shifa e assassinaram Walid Hamdiyeh, de 42 anos, que também havia ficado ferido na explosão da granada. Em 2002, Hamdiyeh confessou ter fornecido aos israelenses informações que os ajudaram a assassinar Imad Akel, um dos fundadores do braço armado do grupo islâmico Hamas, em 1993.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.