Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Palestinos queimam bandeiras antes da chegada de Colin Powell

Na véspera da primeira viagem do secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, ao Oriente Médio, palestinos queimaram bandeiras norte-americanas, tanques israelenses bombardearam delegacias de polícia palestinas e atiradores na Cisjordânia enfrentaram soldados judeus. Um palestino foi morto e outro ficou gravemente ferido por disparos israelenses na última escalada de violência. Ao todo, 407 pessoas, a vasta maioria formada por palestinos, já morreram em cinco meses de confrontos. A visita de Powell ao Oriente Médio ocorre num momento de crescente sentimento antiamericano entre palestinos, em resposta aos ataques aéreos da semana passada contra o Iraque. Na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, cerca de 2.000 manifestantes aplaudiram nesta sexta-feira homens encapuzados queimando bandeiras dos Estados Unidos e uma réplica em papelão de um míssil norte-americano com fotos do presidente dos EUA, George W. Bush. Depois do protesto, dezenas de manifestantes apedrejaram tropas israelenses, que responderam com balas de aço revestidas de borracha. Dez palestinos ficaram feridos. Mais tarde, pistoleiros entre a multidão dispararam contra os soldados judeus, que responderam ao fogo. Mahmoud Abbas, vice-presidente da Autoridade Palestina, disse que três balas do tiroteio atingiram seu escritório em Ramallah. Não houve feridos. Powell chegará à região neste sábado e promoverá encontros em separado com o primeiro-ministro eleito israelense, Ariel Sharon, e o presidente da Autoridade Paslestina, Yasser Arafat, no domingo.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2001 | 18h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.