Palestinos rejeitam diálogo com Israel

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, não retomará as negociações com Israel, a menos que o país cancele seus planos para construir novas casas em um assentamento em Jerusalém Oriental. A afirmação foi feita hoje por Saeb Erekat, principal negociador palestino.

AE, Agencia Estado

11 de março de 2010 | 10h02

"Abbas disse a (o secretário-geral da Liga Árabe, Amr) Mussa que ele informou ao (vice-presidente dos EUA, Joe) Biden ontem que não poderia retomar as negociações sem o cancelamento da construção de 1.600 casas em Jerusalém Oriental", afirmou Erekat. Segundo ele, Abbas disse para Mussa esperar que o enviado dos Estados Unidos para o Oriente Médio, George Mitchell, volte à região na semana que vem para anunciar o cancelamento da decisão israelense.

Ainda hoje, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, expressou "pesar" ao vice-presidente dos EUA pelo fato de a expansão nas construções ser anunciada durante sua visita. A informação foi divulgada hoje pelo escritório do premier.

O anúncio foi feito na terça-feira e provocou a condenação dos palestinos. As negociações indiretas entre os dois lados foram canceladas pelos palestinos, que querem Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado independente.

Biden disse hoje que "agradece" à resposta de Netanyahu à situação causada pelo anúncio da expansão do assentamento durante sua visita. "Às vezes apenas um amigo pode dizer as verdades mais duras, e eu agradeço a resposta do primeiro-ministro, hoje", afirmou Biden, em uma palestra na Universidade Tel-Aviv.

Segundo o vice de Barack Obama, Netanyahu esclareceu na manhã de hoje que o projeto de expansão do assentamento anunciado pode levar vários anos para começar. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
CisjordâniaIsraelpalestinosdiálogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.