Palestinos rejeitam retomar negociações com Israel com novos assentamentos

Primeiro-ministro israelense confirmou que expansão em Jerusalém Oriental não cessará

Agência Estado,

15 de março de 2010 | 14h06

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) descartou continuar as negociações de paz com Israel caso o país continue a expandir sua presença em assentamentos nos territórios ocupados, informou nesta segunda-feira, 15, um porta-voz das lideranças palestinas.

 

Veja também:

linkIsrael seguirá construindo casas em Jerusalém Oriental, diz Netanyahu

linkArtigo: O jogo perigoso de Israel

 

"Não haverá quaisquer negociações com a continuação da atividade (de construção) nos assentamentos", afirmou o porta-voz Nabil Abu Rudeina, em entrevista à agência de notícias AFP. "Essas políticas não criam uma atmosfera apropriada para a retomada do processo de paz", continuou.

Os comentários foram feitos após o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, dizer que Israel continuará construindo em Jerusalém Oriental. A declaração do premiê foi uma resposta às críticas internacionais sobre o anúncio da construção de 1.600 novas casas na área leste da cidade sagrada.

 

Em 7 de março, os palestinos concordaram com a retomada das negociações indiretas de paz com Israel, após meses de esforços diplomáticos norte-americanos. Dois dias depois, porém, Israel anunciou seus planos de expansão de um assentamento em Jerusalém Oriental.

 

O anúncio foi feito durante visita ao país do vice-presidente dos EUA, Joe Biden, enfurecendo Washington e os palestinos, em um grande revés para os esforços de paz.

 

Os palestinos querem a porção oriental Jerusalém como capital de seu futuro Estado independente. Anteriormente, as autoridades palestinas só aceitariam retornar as negociações caso a construção de assentamentos fosse paralisada na região, o que não aconteceu. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.