Palestinos roubam tratores e derrubam muro na fronteira

Extremistas palestinos, furiosos com a prisão de um de seus líderes, roubaram duas escavadeiras e puseram abaixo um trecho de um muro nas proximidades da fronteira com o Egito, horas depois de bloquearem um posto oficial de passagem entre Gaza e Egito e de terem ocupado prédios públicos. Os autores do protesto são membros das brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, uma facção violenta do movimento Fatah, que atualmente controla a Autoridade Nacional Palestina. Este foi apenas mais um dos diversos atos de violência e vandalismo atribuídos a extremistas palestinos, que tentam fazer demonstrações de força frente à ANP - em alguns casos, para exigir empregos no serviço público. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, vem se mostrando incapaz de conter o aços crescente, e a situação poderá prejudicá-lo nas eleições parlamentares previstas para 25 de janeiro. O grupo extremista Hamas, que raramente se envolve em distúrbios públicos - embora já tenha lançado inúmeros ataques letais contra Israel - deverá se beneficiar, nas urnas, da fraqueza demonstrada por Abbas e pelo Fatah.A violência de hoje seguiu-se à prisão, por forças palestinas, do líder das Brigadas de Al-Aqsa Alaa al-Hams, suspeito do seqüestro de cidadãos britânicos. Seguidores de Al-Hams abriram fogo contra o QG das forças de segurança palestinas na cidade de Rafah. Horas depois, após várias outras manifestações violentas, roubaram as escavadeiras e investiram contra o muro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.