Palestinos têm esperança de sepultar Arafat em Jerusalém

Yasser Arafat será sepultado em uma urna funerária de pedra em seu quartel general na cidade de Ramallah, para que mais tarde possa ser levado para Jerusalém, disseram altos assessores do falecido líder palestino. Arafat deverá ser sepultado sexta-feira na Muqata, sede operacional de seu governo, onde passou quase três anos confinado por tropas israelenses, que cercavam o complexo. Sacos de terra de Jerusalém foram levados a Ramallah para enterrar o líder palestino.Nesta quinta-feira, cinco retroescavadeiras limpavam um espaço perto do estacionamento da Muqata. Uma cova seria escavada, disse Ahmed Ghneim, um funcionário do alto escalão da facção política palestina Fatah, que era liderada por Arafat. Azzam al-Ahmed, outro funcionário da Fatah, disse que Arafat seria sepultado num caixão de pedra para que mais tarde seus restos mortais possam ser transferidos para a Esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, terceiro local mais sagrado do Islã. Por sua vez, Ghneim disse que dez sacos com terra da Esplanada das Mesquitas foram levados para o QG palestino para que Arafat seja sepultado em solo sagrado. Israel descarta a hipótese de permitir o sepultamento em Jerusalém por temer que isso prejudique sua reivindicação de soberania sobre toda a cidade.Morte e sucessãoYasser Arafat morreu por volta da zero hora desta quinta-feira (horário de Brasília), e sua morte foi anunciada oficialmente cerca de duas horas depois. O líder palestino estava internado em um hospital militar da França desde 29 de outubro, tratando-se de uma doença cuja natureza ainda não foi divulgada. Nos últimos dias, sofreu derrame cerebral e coma.Poucas horas depois de sua morte, o ex-primeiro-ministro palestino Mahmoud Abbas, segundo em comando da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), foi eleito para a presidência da entidade. Seguindo a Constituição palestina, o presidente do Conselho Legislativo, Rawhi Fattuh, foi declarado novo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), principal órgão executivo dos territórios palestinos, até que ocorram novas eleições. Não está definido se a eleição será direta ou indireta.Marwan Barghouti, líder palestino que seria um forte candidato à presidência da ANP, encontra-se preso em Israel, por participação em cinco mortes. O governo de Israel já avisou que ele não será libertado.  Especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.