Palestinos teriam feito ofertas secretas a Israel

Documentos revelam série de concessões que palestinos estariam dispostos a fazer em favor de acordo de paz

, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2011 | 00h00

LONDRES

Uma série de documentos secretos obtidos pelo jornal The Guardian revelaram ontem que negociadores palestinos teriam oferecido a Israel um acordo pelo qual o país poderia anexar assentamentos construídos ilegalmente em Jerusalém Oriental em troca de terras em outro local. A proposta é apenas uma de muitas concessões contidas em documentos secretos.

O vazamento dos documentos - que cobrem o período de 1999 a 2010 - é considerado o maior da história do conflito no Oriente Médio e revelam, entre outras coisas, como os palestinos estariam prontos para limitar o retorno de refugiados a Israel em 100 mil durante 10 anos. Segundo a rede de TV Al-Jazira, que também teve acesso às informações, pelo menos 1,6 mil documentos foram vazados.

De acordo com as informações obtidas, líderes da Organização para a Libertação da Palestina teriam sugerido a anexação a Israel de todos os assentamentos em Jerusalém Oriental menos o de Har Homa. Os negociadores também teriam sugerido trocar parte do bairro de Sheikh Jarrah por terras em outro lugar. A oferta teria sido feita pelo principal negociador palestino nas conversas de paz com Israel, Saeb Erekat, em meados de 2008, com o objetivo de resolver o conflito entre as duas partes. "Esta é a primeira vez na história palestina e israelense na qual uma sugestão como essa é feita oficialmente", disse Erekat.

Mas a proposta foi rejeitada por Israel porque não incluía um grande assentamento perto da cidade de Ma"ale Adumim nem o de Har Homa, assim como outros considerados importantes na Cisjordânia. "Nós não gostamos dessa sugestão porque não cumpre nossas exigências", disse a então chanceler israelense, Tzipi Livni. "Provavelmente não foi fácil para vocês pensarem nisto (na proposta), mas eu realmente fico grata."

Segundo o Guardian, a impressão geral dos documentos secretos é a fraqueza e o crescente desespero de líderes palestinos em não conseguir chegar a um acordo com os israelenses nem pôr fim à construção de assentamentos ilegais. / AP

REVELAÇÕES

Assentamentos: Palestinos ofereceram anexação a Israel de assentamentos em Jerusalém Oriental

Refugiados: Negociadores palestinos estavam dispostos a limitar o número de refugiados que retornariam a Israel

Ofensiva em Gaza: Líderes palestinos teriam recebido informações antecipadas sobre a ofensiva israelense de 2008

PARA ENTENDER

A colonização da Cisjordânia foi inicialmente incentivada por militares israelenses pouco após o território ser ocupado na Guerra dos Seis Dias, em 1967. Eles acreditavam que a povoação judaica reduziria as ameaças ao território israelense. Mas, pouco a pouco, religiosos viram nos assentamentos um instrumento para assegurar o controle judaico sobre a "Judeia e Samaria", realizando o sonho do Grande Israel. Hoje, de acordo com a organização Paz Agora, de Israel, apenas um terço dos colonos está no território palestino por "ideologia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.