Palestinos violam trégua e lançam foguetes contra Israel

Milicianos da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza dispararam cinco foguetes Qassam contra a localidade israelense de Sderot, desde que, às 6 horas (2 horas de Brasília), entrou em vigor um cessar-fogo com Israel, segundo fontes policiais israelenses. Os foguetes foram lançados nas primeiras horas após o início da trégua, proposta no último sábado por várias das facções que operam em Gaza. Um dos Qassam chegou a atingir Sderot, mas sem fazer vítimas ou causar danos materiais. Outro caiu ao norte da localidade, e um terceiro, perto de um dos kibutz vizinhos à Gaza. Segundo algumas fontes palestinas, as Brigadas de Ezzedine al-Qassam, o braço armado do Hamas, assumiram alguns dos disparos, que teriam sido uma represália à detenção de dois de seus militantes pelo Exército israelense na Cisjordânia. Fontes militares disseram que a detenção dos militantes aconteceu na cidade sagrada de Hebron, 24 quilômetros ao sul de Jerusalém. O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, que promoveu o acordo das facções para o cessar-fogo e o comunicou na noite do último sábado ao primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, espera que a trégua também se estenda à Cisjordânia, separada de Gaza pelo território de Israel. Num comunicado à imprensa divulgado neste domingo, em Gaza, a Jihad Islâmica destaca que dará continuidade aos seus ataques contra Sderot e outras localidades do sul de Israel, "em resposta à agressão" e à detenção dos militantes de Hebron (Cisjordânia). Algumas fontes palestinas diziam que as autoridades israelenses "não interpretaram bem o acordo" proposto pelas facções. A trégua acertada no último sábado foi anunciada, em princípio, para o território de Gaza, de onde, esta manhã, as tropas israelenses que operavam nesse território se retiraram, entre outros motivos, para impedir o disparo dos foguetes Qassam. O governo israelense não negociou o cessar-fogo, mas aceitou as condições das facções que o negociaram, isto é, interromper as operações militares. Abbas informou a Olmert que "todas" as 13 facções da resistência palestina tinham aceitado a trégua. Um porta-voz da Jihad confirmou que seus milicianos efetuaram os disparos desta manhã contra Sderot e negou que sua organização tenha assinado o cessar-fogo com Israel, Estado cuja legitimidade a facção não reconhece, assim como o Hamas. Este texto foi alterado às 8h41 para atualização de informação

Agencia Estado,

26 Novembro 2006 | 08h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.