Palin ataca mídia e diz que Obama quer elevar impostos

A candidata republicana à vice-presidência dos EUA, Sarah Palin, assumiu o palco da convenção do partido com uma dura crítica à imprensa e aos adversários e com a defesa de suas próprias credenciais.A governadora do Alasca disse que Barack Obama não propôs "uma única lei ou reforma importante" durante o mandato como senador e acusou a plataforma econômica dos democratas de esconder um grande aumento de impostos. "O candidato democrata à presidência apóia planos para aumentar o peso dos impostos sobre o povo americano em centenas de bilhões de dólares", disse Palin.Ela não hesitou em responder à critica básica dos democratas sobre sua candidatura - a falta de experiência. "Antes de me tornar governadora do grande Estado do Alasca, fui prefeita da minha cidade natal", lembrou a candidata. "E já que nossos oponentes nesta eleição presidencial parecem desprezar essa experiência, deixe-me explicar a eles o que esse trabalho envolve", declarou. "Acho que o prefeito de uma pequena cidade é como um ''organizador comunitário'', mas com responsabilidades reais", comparou.Palin criticou a mídia, que vem colocando em questão a candidatura dela desde a revelação da gravidez de sua filha Bristol, de 17 anos. A governadora atribuiu as críticas que vem sofrendo ao fato de não pertencer ao establishment político de Washington. "Não vou para Washington para buscar sua opinião favorável", afirmou, dirigindo-se aos repórteres e comentaristas políticos. "Vou para servir ao povo deste país."Em relação à plataforma política dos republicanos, o discurso de Palin se concentrou nas propostas para o setor de energia. Ela defendeu um reforço na política energética dos EUA que inclua não apenas mais exploração de petróleo, mas também mais usinas nucleares e de energia alternativa. "Nossos adversários dizem a todo momento que a exploração de petróleo não resolverá os problemas de energia da América, como se já não soubéssemos disso", afirmou."Mas o fato de que a exploração de petróleo não resolverá os problemas de energia não é desculpa para não fazer nada", acrescentou. "A partir de janeiro, num governo McCain-Palin, faremos mais dutos, construiremos mais usinas nucleares, criaremos novos empregos com o carvão e avançaremos na exploração de energia solar, eólica, geotérmica e outras reservas alternativas", prometeu a candidata. Precisamos de reservas americanas de energia, levadas a vocês pela engenhosidade americana e produzidas por trabalhadores americanos", discursou.Após o discurso, o candidato à presidência, John McCain, subiu ao palco e juntou-se a Palin e à família dela, recebendo os entusiasmados aplausos dos delegados. "Vocês não acham que fizemos a escolha certa para a próxima vice-presidente dos EUA?", indagou McCain à platéia, antes de receber ainda mais aplausos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.