Palin diz que plano de Obama para o Iraque é 'rendição'

A governadora do Alasca, a primeira mulher a concorrer à vice-presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, disse na noite desta quinta-feira que a proposta do candidato democrata à presidência, Barack Obama, para a retirada das tropas americanas do Iraque, equivale a "uma bandeira branca da rendição".Já o rival de Palin, o candidato à vice-presidência dos EUA pelo Partido Democrata, o senador Joe Biden, disse que Palin e McCain estão "mortalmente errados" sobre o Iraque desde o começo, e que os EUA estão desperdiçando US$ 10 bilhões por mês no Iraque enquanto ignoram o verdadeiro centro do terrorismo, o Afeganistão e sua montanhosa fronteira com o Paquistão.Palin também disse que Obama é ingênuo, por ter dito que estaria pronto a se encontrar com os líderes do Irã, Coréia do Norte e Cuba."Isso está abaixo do julgamento ruim. Isso é perigoso", ela disse.Palin se apresentou, no começo do debate, como uma ''maverick'', o que significa um rebelde político no jargão político americano. Ela também disse que McCain é ''maverick'' e que ambos reformarão o sistema que permitiu o crescimento da crise financeira.Biden começou o debate ao culpar o Partido Republicano por ter manejado mal a economia dos EUA durante os oito anos de governo do presidente George W. Bush.Ele também defendeu o plano de Obama de aumentar os impostos para os americanos que ganham mais de US$ 250 mil por ano como uma questão de "simples justiça"."Isso não é uma punição", ele disse, acrescentando que a classe média dos EUA merece uma redução de impostos.Palin disse que Obama está pregando uma "redistribuição de riqueza" que resultará em menos empregos e na queda do faturamento das empresas.Biden acusou McCain de planejar dar um corte de impostos extra de US$ 300 mil às corporações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.