Palin volta ao Alasca como estrela republicana

Depois de dois meses afiando sua retórica conservadora como candidata a vice-presidente dos EUA, a governadora Sarah Palin voltou ao Alasca como estrela do Partido Republicano, mas enfraquecida perante o seu próprio eleitorado, que a considerava mais centrista. A figura de "pit bull" que ela adotou e seus apelos estridentes à base conservadora republicana contrastavam ao seu estilo apartidário e populista como governadora, o que pode decepcionar alguns, segundo especialistas. Enquanto as especulações sobre uma candidatura presidencial em 2012 crescem, um editorial na quinta-feira no jornal Anchorage Daily News perguntava qual das duas Palins voltará ao Alasca. "Suas obrigações como governadora a apontam para uma direção . Suas ambições nacionais a apontam para outra ", disse o texto. Até ser indicada vice na chapa de John McCain, Palin era a governadora mais bem avaliada dos EUA, graças a suas posturas duras contra as empresas de petróleo e às propostas de pagar um bônus a cada morador do Estado por causa dos dividendos do petróleo. Agora, o petróleo está a menos de metade da cotação que ajudou a rechear os cofres do Estado, e ela ainda terá de enfrentar acusações de uso indevido de verbas públicas e abuso de poder. Nesta semana, uma comissão local isentou Palin na investigação por abuso de poder, relativa à demissão de um ex-cunhado que trabalhava para a polícia local. PONTE POLÊMICA Palin já havia provocado alguma indignação no seu discurso na Convenção Republicana de 29 de agosto, quando se vangloriou de ter impedido a construção da famosa "Ponte para Lugar Nenhum" - sendo que, na verdade, ela havia apoiado o projeto e dito, durante a disputa para o governo, em 2006, que esse apelido para o projeto era insultante. Suas afirmações de que reduziu gastos públicos no Alasca também foi malvista, já que o orçamento e as atribuições do governo dispararam no governo dela, acompanhando o preço do petróleo. Mesmo suas referências simpáticas ao eleitor médio que ela chamava de "Joe Six-Pack" (six-pack é a popular embalagem com seis latas de cerveja) foram consideradas insensíveis, devido à devastação que o alcoolismo causa no Estado, especialmente em comunidades indígenas. Palin voltou ao Alasca na noite de quarta-feira. Foi recebida por alguns admiradores no aeroporto de Anchorage e minimizou as dificuldades que pode enfrentar no Legislativo local devido aos ressentimentos eleitorais. "Ninguém deveria ter ressentimentos. Minha nossa, isso é política. Política é dureza e queda, e as pessoas precisam ficar com a pele grossa, como eu fiquei." Palin continua sendo popular no Alasca, mas sua taxa de aprovação estratosférica, que chegou a um auge de 89 por cento, despencara no final de outubro para 64, segundo pesquisa realizada pelo consultor local Ivan Moore.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.