Panamá é candidato de consenso ao Conselho da ONU

Depois de mais de duas semanas de disputa, a Venezuela e a Guatemala aceitaram na quarta-feira retirar suas candidaturas a uma vaga rotativa no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Com a decisão, o Panamá será o candidato de consenso para a vaga da América Latina. O acordo foi anunciado pelo embaixador do Equador na ONU, Diego Cordovez, depois de reuniões com os ministros do Exterior da Venezuela e da Guatemala. Segundo Cordovez, ambos os países aceitaram apoiar o Panamá para a vaga, uma das duas reservadas à América Latina, que atualmente é ocupada pela Argentina. O outro assento não permanente do continente é ocupado pelo Peru. "Chegamos a um acordo para propor a República do Panamá como fórmula de consenso ante o Grupo de Países Latino-americanos e Caribe (Grulac)", afirmou o chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro, à TV estatal venezuelana. Ao ser questionado sobre o motivo da escolha do Panamá, o chanceler da Guatemala, Gert Rosenthal, disse: "É um país que une a América do Sul e a América Central". "Estamos preocupados com a idéia de uma divisão entre o norte e o sul da América Latina. Queremos deixar essa idéia de lado apresentando um candidato que é bem recebido por ambos os extremos do continente", afirmou Rosenthal. Longa disputa Com a retirada das candidaturas da Venezuela e da Guatemala e com o apoio do Grulac, a expectativa é de que a votação do Panamá na Assembléia Geral da ONU seja uma mera formalidade. Desde o início da disputa, em 16 de outubro, foram realizadas 47 rodadas de votações na Assembléia Geral (composta por 192 membros). Em quase todas as rodadas, a Guatemala obteve mais votos que a Venezuela. Mesmo assim, nenhum dos dois países conseguiu os dois terços dos votos necessários para ocupar a vaga de membro não permanente. A votação ganhou contornos políticos. Os Estados Unidos apoiavam a Guatemala e a Venezuela prometia que, caso fosse eleita, faria forte oposição a Washington. Pelas regras da ONU, a votação poderia se estender indefinidamente até que se chegasse a um acordo. Em 1979, uma disputa entre Cuba e a Colômbia levou três meses para ser decidida, até que o México surgisse como candidato de consenso. O Conselho de Segurança tem cinco membros permanentes (China, Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha e França) e dez rotativos (com mandatos de dois anos), que se distribuem entre os blocos regionais - África, América Latina, Ásia e Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.