Panamá é confirmado como candidato de consenso para o CS

Grupo de Países da América Latina e do Caribe (Grulac) confirmaram nesta sexta-feira o Panamá como seu candidato de consenso para ocupar um assento não-permanente no Conselho de Segurança (CS) da ONU, para o biênio 2007-2008. A designação, que foi aprovada de forma unânime pelos 33 países que integram o Grulac, ainda deve obter a aprovação de dois terços dos 192 países da Assembléia Geral, em uma votação que acontecerá na próxima terça-feira, mas que é considerada um trâmite normal para a indicação. O embaixador do Panamá na ONU, Ricardo Alberto Arias, disse estar motivado e comprometido com o grupo e com a organização mundial. "Apresentamos nosso nome em um espírito de representante da região. É um espírito de compreensão para os diferentes conflitos que há no mundo, especialmente aqueles que obedecem a diferenças culturais e religiosas", destacou. O diplomata expressou sua confiança, pois da forma que a sociedade panamenha é constituída, onde convivem pessoas de diferentes culturas, raças e religiões, seu país pode "contribuir para a paz e a estabilidade internacional". Ele esclareceu que o compasso de espera para confirmar sua nomeação dentro do Grulac foi uma questão de procedimento, já que os países da Comunidade do Caribe (Caricom) precisavam consultar suas capitais. O surgimento do Panamá como candidato de consenso aconteceu depois que Guatemala e Venezuela não obtiveram os votos necessários para conseguir o posto e que o processo de escolha estagnasse.

Agencia Estado,

03 Novembro 2006 | 21h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.