Panamenho diz que Chávez teve morte cerebral

A onda de boatos que tem assaltado a Venezuela a cada semana desde que o presidente Hugo Chávez se submeteu a uma cirurgia em Cuba - a quarta desde que anunciou ter câncer -, em dezembro, voltou a crescer na quarta-feira à noite, após uma breve visita do ministro da Defesa Diego Molero ao Hospital Militar Dr. Carlos Arvelo e das declarações do ex-embaixador do Panamá ante a OEA Guillermo Cochez, segundo as quais Chávez já teria "morte cerebral".

O Estado de S.Paulo

01 de março de 2013 | 02h06

"O paciente foi desconectado das máquinas que o mantinham vivo há quatro dias", disse Cochez. "A informação que tenho é a de que o presidente Chávez está com morte cerebral desde 30 de dezembro. E nesse estado ele foi trasladado à Venezuela, uma vez que não queriam desconectá-lo em Cuba."

"Estão falseando essa informação com fotografias falsas que não correspondem à realidade", prosseguiu o panamenho em entrevista ao canal colombiano NTN24.

O governo informou que Chávez chegou ao hospital militar em Caracas na madrugada do dia 18, onde prosseguiria seu tratamento pós-operatório.

Segundo os porta-vozes do chavismo, como o ministro das Comunicações e Informação, Ernesto Villegas, e o chanceler, Elías Jaua, o presidente Hugo Chávez ainda se ressente da insuficiência respiratória que se seguiu à cirurgia num hospital de Havana. / R.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.