Pane após terremoto deixa Ásia quase incomunicável

Os problemas para realizar ligações telefônicas para o exterior ou acessar a internet causados pelo terremoto de 26 de dezembro, em Taiwan, continuam nesta quinta-feira. De acordo com informações da AP, uma dúzia de cabos de fibra ótica que cruza o oceano no sul de Taiwan foi danificada - o que ocasionou a pane nas comunicações na China, Japão, Coréias, sudeste da Ásia e EUA.Apesar de uma leve melhora na situação, Pequim e Hong Kong seguem encontrando sérias dificuldades de comunicação, mesmo após os técnicos chineses implementarem na quarta-feira conexões alternativas que, pelo menos, permitiram o acesso a páginas de internet locais que antes eram inacessíveis.Os responsáveis da China Telecom e da China Netcom, as duas principais operadoras de redes de dados no país, não quiseram fazer novos comentários sobre a situação e não souberam precisar quando os problemas serão solucionados.De acordo com o jornal South China Morning Post, o caos nas comunicações chinesas pode acabar dentro de três semanas.A empresa oficial de telecomunicações de Taiwan disse que nesta quinta-feira 95% do serviço de transmissão de dados da Ásia interrompido e 80% do serviço telefônico devem ser restaurados até às 23h.Taiwan perdeu quase que totalmente seu serviço telefônico com o Japão e o continente chinês. O serviço americano também foi bem atingido, cerca de 60% de sua capacidade foi perdida. As conexões com EUA, China e Canadá foram restauradas, mas 70% da capacidade com o Japão e 90% da capacidade com o sudeste asiático continuaram lentas durante a quarta-feira.O terremoto que atingiu o sul de Taiwan matou duas pessoas morreram e pelo menos 42 ficaram feridas, após três prédios terem desabado.Apesar de um alerta de tsunami não ter se concretizado, o terremoto danificou cabos de comunicação subaquáticos. Filipinas, Indonésia, Cingapura, Coréia do Sul e Tailândia são alguns dos países do que registraram problemas de comunicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.