Pane deixa 2.000 pessoas presas em trens no Eurotúnel

Quatro trens de passageiros quebraram dentro do Eurotúnel neste sábado, deixando mais de 2.000 pessoas presas durante horas no interior da conexão ferroviária sob o Canal da Mancha, muitas delas sem aquecimento, luz ou água.

AE, Agencia Estado

19 de dezembro de 2009 | 14h33

Executivos da Eurostar, companhia que opera os trens, suspenderam o serviço ferroviário sob a alegação de que as panes foram motivadas pelo intenso frio e por uma forte nevasca no lado francês do Canal da Mancha.

Todos os passageiros já foram resgatados e passam bem, segundo a empresa. Muitos deles foram retirados a pé do túnel.

Os quatro trens que quebraram haviam saído de Paris. Cansados, os passageiros chegaram a Londres cerca de 10 horas depois do previsto depois de terem passado a noite presos nos trens.

Segundo relatos, passageiros sofreram ataques de pânico e falta de ar na escuridão; outros estavam em vagões sem aquecimento, água e outros suprimentos.

"Eles não nos davam informações", disse a passageira Alison Sturgen sobre os funcionários.

"As condições no trem eram terríveis. Dormimos no chão, cobertos com jornal, como se fôssemos sem-teto, e ninguém sabia dizer o que se passava."

Constrangidos, executivos da Eurostar pediram desculpas pelas panes e pela confusão. Richard Brown prometeu reembolsar os passageiros afetados e dar eles uma nova passagem.

Segundo Brown, os trens sofreram pane por causa da mudança repentina da temperatura externa quando as composições deixaram o ar extremamente gelado do lado francês e entraram no túnel aquecido. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Canal da Manchapanetrens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.