Papa aceitará conclusão que subverte crença sobre Limbo

O papa Bento XVI irá, nesta semana, subverter uma antiga crença sustentada pelos católicos romanos desde os tempos medievais ao abolir o conceito de Limbo, informou a versão on-line do jornal The Times.O Limbo é considerado, religiosamente, o lugar onde as almas das crianças vão se morrem antes de serem batizadas. Lá são liberadas do pecado original. É também para lá que vão as pessoas ditas sagradas, como Abraão, que viveram antes de Jesus.Esta semana, uma comissão de 30 teólogos do Vaticano vão começar as considerações finais a respeito do Limbo. De acordo com o Times, fontes dentro do Vaticano disseram que a comissão teria chegado à conclusão de que todas as crianças que morrem obtém a salvação divina e a "mediação de Cristo", sejam elas batizadas ou não.A ponderação seria que Deus deseja que todas as almas sejam salvas, e que as de crianças não-batizadas cabem a um "Deus misericordioso", cuja forma de ação não pode ser conhecida. O papa aprovará formalmente as conclusões da comissão em uma missa na sexta-feira.O processo para se "desfazer" do conceito de Limbo começou no fim do papado de João Paulo II. O antigo papa teria tido apoio de Joseph Ratzinger - antes cardeal, agora papa - que considerava que o Limbo "nunca havia sido uma verdade definitiva da fé".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.