Papa afirma que viagem ´não é política, e sim pastoral´

O papa Bento XVI afirmou nesta terça-feira que sua visita à Turquia "não é uma viagem política, mas sim pastoral" e que tem como objetivo "o diálogo e o compromisso comum pela paz". Bento XVI fez tais declarações no avião em que viaja a Ancara, poucos minutos antes da decolagem, no aeroporto romano de Fiumicino. Após saudar os jornalistas que o acompanham, como costuma fazer antes de uma viagem pelo mundo, o papa destacou a importância do diálogo entre cristãos e ortodoxos e entre a Igreja e o Islã. O Bispo de Roma ressaltou os encontros que terá em Ancara e em Istambul com as autoridades civis da Turquia e as religiosas do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla. O objetivo da viagem é a reunião com a Igreja Ortodoxa, por ocasião da festa de seu padroeiro, Santo André (30 de novembro), e com a pequena comunidade católica. Mas a polêmica suscitada pelo discurso que pronunciou em Regensburg (Alemanha) em setembro, citando Maomé e o Islã e considerado ofensivo pelo mundo muçulmano, deram outro destaque à viagem. Como é habitual nessas viagens, o papa enviou telegramas aos presidentes dos países que o avião sobrevoaria - Itália, Albânia e Grécia. Na mensagem enviada ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, Bento XVI afirmou que viaja para se reunir com representantes do povo turco "e em particular com os irmãos e irmãs na fé, para compartilhar com eles momentos de forte espiritualidade e incentivar o diálogo ecumênico". O sumo pontífice também ressaltou o diálogo ecumênico (com os muçulmanos). Na mensagem enviada ao presidente da Albânia, Alfred Moisiu, o Bispo de Roma pediu a Deus que abençoe o país com o "dom da paz e a prosperidade". Os mesmos desejos serão expressados ao presidente da Grécia, Karolos Papoulias, quando o avião papal sobrevoar o país, que João Paulo II visitou em 2001, em uma viagem histórica, quando pediu perdão aos ortodoxos gregos pelos danos causados pelos católicos ao longo dos séculos. Bento XVI deve chegar a Ancara às 13h (9h de Brasília). O premier turco disse nesta terça-feira esperar que a visita do papa Bento XVI à Turquia promova a paz mundial, e instou os turcos a mostrar sua hospitalidade tradicional ao sumo pontífice. "Esperamos que essa visita irá ajudar o avanço da aliança das civilizações e da paz mundial", disse o premier Recep Tayyip Erdogan a legisladores do seu partido, com raízes islâmicas, antes da chegada do papa.

Agencia Estado,

28 Novembro 2006 | 08h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.