Papa afirma seu respeito profundo pelo Islã

O papa Bento XVI expressou nesta quarta-feira seu "mais profundo respeito" pelas grandes religiões, e especificamente pelo Islã, garantindo que suas palavras sobre Maomé foram mal interpretadas e não expressam sua convicção pessoal.O pontífice afirmou também que a religião deve sempre estar unida à razão e nunca à violência. Ele falou a milhares de pessoas na praça de São Pedro, durante a audiência pública das quartas-feiras.O papa comentou que durante seu encontro com o mundo da ciência na Universidade de Regensburg (Alemanha), onde ensinou Teologia Dogmática, falou da relação entre fé e razão."Infelizmente, nesse contexto houve um mal-entendido quando expliquei que a religião não acompanha a violência, e sim a razão.Meu verdadeiro pensamento se mostra claramente também em outras passagens, que expressam grande respeito pelas religiões do mundo, e também pelos muçulmanos, que adoram um único Deus", afirmou.Bento XVI acrescentou que em seu discurso ressaltou "aimportância de respeitar o sagrado e a importância do diálogo ecumênico e da colaboração em favor do bem comum, da justiça social e dos valores morais". As palavras do papa foram recebidas com aplausos. Bento XVI dedicou a audiência desta quarta-feira a explicar sua viagem à Alemanha. Ele ressaltou a sua mensagem ao Ocidente, "que está surdo à palavra de Deus".A audiência desta semana contou com medidas de segurança discretas, mas fortes. O papa e os católicos vinham sendo alvo de ameaças de grupos fundamentalistas islâmicos, que consideraram"intolerável" e "ofensivo" o discurso do papa sobre o Islã e Maomé.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.