Papa alerta para disseminação de 'deserto espiritual'

O papa Bento XVI encerrou, hoje, a sua mais distante peregrinação durante visita à Austrália tentando inspirar uma nova geração de fiéis e ao mesmo tempo superar um capítulo negro da igreja católica causado por escândalos de abuso sexual no clero. O papa disse a jovens peregrinos em missa neste domingo que um "deserto espiritual" está se espalhando pelo mundo e os desafiou a acabar com a ganância e o cinismo para criar uma nova era de esperança. O Vaticano informou que cerca de 350 mil fiéis de cerca de 170 países lotaram o hipódromo de Randwick, onde muitos acamparam com suas tendas. O porta-voz do Vaticano Reverendo Federico Lombardi disse que foi a maior concentração de pessoas desde as Olimpíadas de 2000.Ontem o papa Bento XVI fez um pedido de desculpas direto às vítimas de abuso sexual infantil praticado por sacerdotes da Igreja Católica Romana na Austrália, classificando a prática como um ato diabólico de crueldade e uma grave traição da confiança, que desgraçaram a igreja. Grupos de apoio às vítimas informaram que eles querem mais: um compromisso do pontífice para interromper o que eles alegam que seja um processo de acobertamento da escala do problema, além de demandarem que a igreja pare de lutar contra os pedidos de compensação na Corte de Justiça.Ativistas afirmam que há milhares de vítimas de abuso sexual na Austrália. O grupo "Broken Rites" documentou mais de 100 casos nos quais sacerdotes de diversas denominações cristãs foram sentenciados por crimes de abuso.O papa Bento XVI está na Austrália para guiar milhares de peregrinos no Dia Mundial da Juventude, uma celebração global que tem o intuito de inspirar uma nova geração de católicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.