Papa alerta para ritmo frenético do mundo

O papa Bento XVI alertou hoje, na tradicional Missa Crismal da Quinta-Feira Santa, que o mundo "com freqüência perde o rumo" por causa do seu ritmo frenético. A missa, que marca o começo do Tríduo Pascal, momento mais importante do Ano Litúrgico, é celebrada no dia em que se lembra a instituição do sacramento da ordem sacerdotal por Jesus Cristo durante a Última Ceia. Na cerimônia, celebrada na Basílica de São Pedro do Vaticano, os sacerdotes renovaram os votos sacerdotais (pobreza, castidade e obediência). Bento XVI destacou na homilia o que significa ser sacerdote, e quais são suas obrigações. Deixando de lado um costume consolidado durante o pontificado de João Paulo II, Bento XVI não escreveu a carta aos sacerdotes do mundo. Não se sabe se na Sexta-Feira Santa, ele se confessará na Basílica de São Pedro como um sacerdote comum, outro costume de seu antecessor. Bento XVI ressaltou que ser sacerdote significa "ser amigo de Jesus Cristo". Por essa amizade "devemos comprometer-nos todos os dias". "O sacerdote deve ser, sobretudo, um homem de orações. O mundo, com sua atividade frenética, perde com freqüência a orientação. Sua atividade e sua capacidade se tornam destrutivas se diminuem a forças (que as pessoas colocam) nas orações, das que provêm as águas da vida capazes de fecundar a terra", afirmou o Papa. Ele afirmou que o mundo "precisa de Deus, não de um deus qualquer, mas do Deus de Jesus Cristo, do Deus feito carne e sangue, que nos amou até morrer por nós, que ressuscitou e criou em Si mesmo um espaço para o homem". Este Deus - acrescentou o Pontífice - "tem que viver em nós, e nós n´Ele". Na Sexta-Feira Santa, ele irá novamente à Basílica de São Pedro para presidir, à tarde, a celebração da Paixão do Senhor. À noite, seguirá para o Coliseu de Roma, para presidir no local, que simboliza o martírio de muitos cristãos, a tradicional Via-Crúcis. Na noite do Sábado de Aleluia, celebrará na Basílica de São Pedro a Vigília Pascal, considerada a "mãe de todas as vigílias", na qual a escuridão torna-se luz com a lembrança da Ressurreição do Senhor. No Domingo de Páscoa, dia em que completa 79 anos, Bento XVI presidirá na praça de São Pedro a Missa da Ressurreição. Depois, transmitirá a tradicional Mensagem Pascual e dará a bênção "Urbi et Orbi", a todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.