Papa Bento 16 pede diálogo pelo fim de conflito na Líbia

O papa Bento 16 pediu que os diplomatas trabalhem por um diálogo imediato com o objetivo de suspender o uso de armas por todas as partes envolvidas nos conflitos na Líbia. Bento 16 disse que tem rezado pela harmonia naquele país e no norte da África, mas está fazendo "uma apelo profundo (...) por um começo imediato do diálogo para a suspensão do uso de armas".

AE, Agência Estado

27 de março de 2011 | 13h05

O papa afirmou que "quanto mais notícias dramáticas saem da Líbia" mais aumenta seu "temor pela segurança e seguridade da população civil, bem como sua apreensão sobre como a situação, marcada pelo uso de armas, está se desenvolvendo".

Bento 16 também expressou preocupação com os violentos conflitos no Oriente Médio nos últimos dias. Dizendo ter em mente tanto "autoridades quanto civis do Oriente Médio", o papa pediu que "o ritmo do diálogo e da reconciliação tenham prioridade na busca pela coexistência justa e fraternal".

No domingo passado, Bento 16 fez um apelo urgente para que líderes militares e políticos considerassem a segurança de civis líbios e garantissem que eles tenham acesso a ajuda emergencial. Significativamente, na ocasião o papa não pediu um fim imediato dos ataques aéreos liderados pelos EUA e pela Europa. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaconflitosPapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.