Papa Bento XVI pede esperança em discurso de Páscoa

O Papa Bento XVI disse neste domingo que a reconciliação é a única saída para resolver o conflito entre israelenses e palestinos e que o mundo inteiro precisa redescobrir a esperança para por fim às guerras, à pobreza e à crise financeira. Em sua mensagem de Páscoa, na Basílica de São Pedro, Bento XVI informou que pretende viajar para a Terra Santa em algumas semanas e disse que irá levar sua mensagem de esperança e amor para a região. "Reconciliação - difícil, mas indispensável - é uma precondição para um futuro com segurança e coexistência pacífica, e isso só pode ser atingido através de renovados, perseverantes e sinceros esforços para resolver o conflito Israel-Palestina", afirmou.

AP-AE, Agencia Estado

12 de abril de 2009 | 11h29

Bento XVI fez o seu discurso "Urbi et Orbi", que significa "Bênção à cidade de Roma e ao Mundo" em latin, ao final da missa de Páscoa, diante de cerca de 200 mil pessoas, que ocuparam também parte da Via da Conciliação. Em sua primeira saudação - em italiano - Bento XVI fez uma menção especial às vítimas do terremoto que atingiu a Itália recentemente, orando para que tenham "a coragem necessária para seguir adiante juntas e construir um futuro aberto a esperança".

Em sua mensagem pascal, o pontífice disse que é "urgente" encontrar esperança em todo o mundo, apesar das muitas razões para desespero. "Em tempos em que o mundo sofre com a falta de alimentos, desordem financeira, de velhas e novas formas de pobreza, de mudanças climáticas preocupantes, de violências e misérias que obrigam muitos a abandonar sua terra, de terrorismo sempre ameaçador, de medos crescentes diante de um porvir problemático, é urgente descobrir novamente perspectivas capazes de devolver a esperança".

Tudo o que sabemos sobre:
PapadiscursoPáscoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.