Papa critica banalização da sexualidade em filmes infantis

O Papa Bento XVI definiu como "perversão" a exaltação da violência e a "banalização" do sexo em programas, filmes e jogos destinados a crianças e adolescentes, em mensagem para a Jornada da Comunicação Social que foi publicada nesta quarta-feira.Na mensagem para a jornada que acontecerá no dia 20 de maio e que leva o título de "As crianças e os meios de comunicação social: um desafio para a educação" o para reflete sobre a educação de jovens por meio da televisão e pela formação dos meios de comunicação quando se dedicam ao público infantil."Toda a tendência a produzir programas - incluído filmes de animação e jogos - que exaltam a violência e transmitem comportamentos anti-sociais, que, em nome do entretenimento, banalizam a sexualidade humana, é perversão" afirma o Papa na mensagem.Segundo o Pontífice, a perversão aumenta quando se trata de porgramas dirigidos a crianças e adolescentes. "Como se poderia explicar este ´entretenimento´ aos inúmeros jovens inocentes que são vítimas da violência, exploração e abuso", afirma o PapaBento XVI também assinala que muitos comunicadores fazem o que lhes parece justo e às vezes se encontram obrigados a descumprir normas éticas por conta do lado "comercial".Ainda na mensagem, o Pontífice pede que os responsáveis pela comunicação "que motivem os produtores a transmitir o bem comum e proteger a dignidade humana, além de promover o respeito pelas necessidades da família".Também pediu aos veículos que realizem um trabalho educativosobre o "exercício da liberdade", que se representa como "a buscafrenética do prazer ou de novas experiências".O Papa também chamou a atenção aos pais, à Igreja e à escola paraque eduquem as crianças "para que façam um bom uso da imprensa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.