Papa deixa a Croácia e já se prepara para a Mongólia

Brigando com o cansaço, mas determinado a continuar, o papa João Paulo II realizou suacentésima viagem em meio a perguntas sobre quando tempo mais ele vai agüentar os rigores da estrada.Uma viagem à Mongólia em agosto ainda está no ar, entre outras coisas por causa da pneumonia atípica, mas o papa, de 83 anos, parte novamente, em menos de duas semanas, para a Bósnia, onde poderá contar com a adoração da multidão, como ocorreu em sua extenuante viagem de cinco dias à Croácia.Antes de voltar para Roma, nesta segunda-feira, João Paulo II teve uma animada despedida por parte dos mais de 100 mil peregrinos que oreceberam na cidade costeira de Zadar.O papa coroou sua terceira visita à Croácia com um comovente tributo à primeira luta da república iugoslava para sobrepujar o nacionalismo, o rancor e a amargura depois de sua guerra de 1991pela independência."Estou perto de todos os que estão sofrendo as trágicas conseqüências dessa guerra. Conheço sua força, sua coragem e sua fé - e estou certo de que seus esforços contínuos permitirão quevejam dias melhores", disse para uma multidão reunida num calçadão à beira-mar.João Paulo II pareceu bem disposto diante das multidões, mas seu porta-voz, Joaquin Navarro-Valls, admitiu que a viagem à Croácia foi "muito estressante" para o papa, que, em dadomomento, aludiu à própria mortalidade, pedindo aos fiéis: "Rezem por mim durante a minha vida e até após a minhamorte."BeatificaçãoO papa João Paulo I, cujo pontificado durou só 33dias, poderá ser levado ao altar se o processo de beatificação, atualmente na Congregação da Causa dos Santos da Santa Sé, for para a frente. O início do processo canônico do "papa sorriso"foi confirmado nmesta setgunda-feira pelo bispo de Belluno, Vicenzo Savio, principal defensor da iniciativa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.