Papa denuncia avanço do racismo e pede tolerância

O papa Bento XVI criticou hoje o aumento do racismo em alguns países e conclamou os cristãos a ajudar a sociedade a combater a intolerância contra estrangeiros. "Uma das maiores conquistas da humanidade foi, justamente, a superação do racismo", disse o pontífice a fiéis em sua residência de descanso em Castelgandolfo, nas proximidades de Roma. "Infelizmente, no entanto, em diversos países, novas e temerosas demonstrações" de racismo têm se manifestado nos últimos tempos, prosseguiu ele.Bento XVI observou que enquanto o racismo "às vezes está relacionado a problemas sociais e econômicos", esses fatores "jamais podem servir de justificativa para o menosprezo e para a discriminação racial". O papa não mencionou nominalmente nenhum país. Na Itália, porém, diversas dioceses manifestaram-se durante o debate sobre a recente repressão do atual governo conservador do país contra os estrangeiros. Pesquisas na Itália indicam que grande parte da população do país atribui a criminalidade aos imigrantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.