Papa denuncia 'silêncio cúmplice' face ao massacre de cristãos pelo mundo

O papa Francisco denunciou, durante as celebrações da Sexta-Feira Santa, o que chamou de "silêncio cúmplice" frente ao assassinato de cristãos pelo mundo.

AE, Estadão Conteúdo

03 de abril de 2015 | 19h37

A cerimônia, que recorda o sofrimento e morte de Jesus através da crucificação, é realizada todos os anos no Coliseu, em Roma.

Depois de ouvir em silêncio, muitas vezes com a cabeça baixa e os olhos bem fechados, a via-crúcis de Jesus, Francisco voltou a um assunto que ultimamente tem sido uma preocupação urgente de seu papado - o martírio atual dos cristãos em partes do Oriente Médio e da África.

"Vemos, ainda hoje, os nossos irmãos perseguidos, decapitados e crucificados, pela sua fé em Jesus, na frente de nossos olhos ou muitas vezes com o nosso silêncio cúmplice", afirmou Francisco.

Poucas horas antes, Francisco havia condenado o ataque mortal de militantes islâmicos contra os cristãos em uma universidade queniana, que vitimou 147 pessoas.

No início deste ano, o papa denunciou o assassinato na Líbia de 21 cristãos coptas por militantes do Estado Islâmico, dizendo que eles foram mortos simplesmente por sua fé. E lamentou também que cristãos de regiões do Oriente Médio têm sido forçados a fugir de suas antigas comunidades para escapar da perseguição.

Entre os que se revezavam para levar a cruz estavam fiéis de Iraque, Síria, Nigéria, Egito e China.

Uma das orações durante a procissão clamou que o "direito fundamental da liberdade religiosa" se espalhe por todo o mundo.

Dezenas de milhares de turistas, peregrinos e romanos acompanharam com velas a procissão.

No sábado, o papa Francisco vai comemorar a Vigília Pascal na Basílica de São Pedro. No domingo de Páscoa pela manhã, ele vai celebrar a missa na Praça de São Pedro. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ITÁLIAPAPASEXTA-FEIRA SANTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.