Papa denuncia tráfico humano

O papa Francisco classificou o tráfico de pessoas como um crime contra a humanidade após uma reunião com quatro mulheres que foram forçadas à prostituição.

AE, Agência Estado

10 de abril de 2014 | 18h42

Francisco participou nesta quinta-feira de uma conferência com obreiros da Igreja Católica, representantes de caridade e chefes de polícia de 20 países que teve como objetivo buscar uma cooperação para incentivar as vítimas do tráfico e da escravidão de fazer denúncias e recuperarem-se do trauma.

O papa disse na conferência que o tráfico é "uma ferida aberta no corpo da sociedade contemporânea". Ele se reunião em particular com quatro mulheres que foram vítimas de escravidão sexual.

Francisco colocou o combate ao tráfico humano e a escravidão como uma prioridade do seu pontificado. Recentemente o Vaticano se juntou à Igreja Anglicana e a Universidade Al-Azhar, a sede mais importante do aprendizado sunita, numa iniciativa antiescravidão. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Papatráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.