Papa devolve relíquias saqueadas nas Cruzadas

O papa João Paulo 2º vai fazer um gesto de amizade aos cristãos ortodoxos sem precedentes durante cerimônia no Vaticano neste sábado. Ele vai entregar as relíquias de dois santos do início da era cristã ao patriarca de Constantinopla, Bartolomeu 1º.As relíquias foram veneradas por centenas de anos em Constantinopla ? Istambul desde 1453. Elas foram saqueadas por mercenários cristãos no período das Cruzadas e estão na Basílica de São Pedro, em Roma.Os ossos seriam de São João Crisóstomo e São Gregório, dois sábios da Igreja Cristã. Ambos foram arcebispos de Constantinopla muito antes do cisma entre as Igrejas Cristãs do Ocidente e do Oriente, há quase mil anos.Ao som do canto majestoso de um coral ortodoxo, o papa vai entregar formalmente as relíquias a Bartolomeu 1º, líder espiritual de cerca de 300 milhões de cristãos ortodoxos do mundo todo.O papa fez da reconciliação das Igrejas cristãs um dos grandes temas de seu longo pontificado, mas até agora teve sucesso limitado.O diálogo entre católicos e anglicanos emperrados em torno da questão da ordenação de mulheres pela Igreja anglicana e as relações com os ortodoxos russos ainda estão tensas, apesar de o papa recentemente ter presenteado o líder da Igreja russa com um ícone sagrado antigo. Os russos acusam o papa de tentar forçar a conversão de fiéis ortodoxos, uma acusação que o Vaticano nega enfaticamente.Tentativa de reconciliaçãoMesmo fragilizado, o papa insistiu em fazer esse gesto único de devolver as relíquias dos santos à sua cidade de origem, mas é improvável que isso permita grandes avanços na retomada das relações com os cristãos ortodoxos.Um graduado cardeal do Vaticano, encarregado das relações com outras Igrejas cristãs, admitiu recentemente que o entusiasmo por uma unidade total e visível entre católicos e membros de outras Igrejas cristãs está esfriando.No mês passado, os bispos da Igreja Ortodoxa Grega vetaram planos para um visita do Arcebispo de Atenas à Roma, em retribuição à visita de João Paulo 2º a Grécia em 2001. A reunificação das Igrejas Cristãs claramente não está próxima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.