Papa diz que Cristianismo não é acúmulo de proibições

O Papa Bento XVI disse neste domingo, 13, que o cristianismo "não é um acúmulo de proibições, mas uma opção positiva" e que é "muito importante" que isto volte a ser entendido desta forma, pois esta interpretação desapareceu quase totalmente nos dias de hoje.Além disso, o papa destacou a importância de que "o mundo laico se dê conta de que a fé cristã não é um impedimento, mas ao contrário, uma ponte para o diálogo com os outros mundos".O líder católico afirmou que o cristianismo é uma opção positiva para buscar respostas para os dilemas modernos, como o casamento. "Escutamos falar tanto sobre o que não é permitido, que agora é preciso dizer que nós temos uma idéia positiva a propor: O homem e a mulher são feitos um para o outro".Além disso, "é preciso reconhecer que não é uma invenção católica que o homem e a mulher são feitos, de fato, um para o outro, para que a humanidade continue vivendo. Todas as culturas sabem disto no fundo", declarou.Sobre o problema da aids, especialmente na África, Bento XVI afirmou que "a questão fundamental, se queremos seguir em frente nesta questão, se chama educação e formação" da pessoa, que "é a verdadeira receita, a chave de tudo".Bento XVI explicou que o tema fundamental de sua viagem àAlemanha é que os homens têm que "redescobrir Deus e não um Deus qualquer, mas um Deus com rosto humano".A partir desta descoberta, afirmou, o homem tem que buscar "os caminhos para a reconciliação e a convivência pacífica no mundo. Os caminhos que conduzem para o futuro não podem ser encontrados sem a luz desde o alto".Segundo Bento XVI, Ocidente vive hoje "uma onda de um novoiluminismo, ou laicismo", no qual crer em Deus "é mais difícil", pois o mundo "é feito completamente pelo ser humano e nele Deus não aparece diretamente".O Papa disse que o Ocidente "está hoje fortemente influenciado por outras culturas, nas quais o elemento religioso original é muito forte, e que ficam horrorizadas pela frieza que existe no Ocidente com relação a Deus". Sobre o papel da mulher na Igreja, ele se mostrou convencido de que elas conseguirão obter seu espaço. A seus 79 anos, o Papa também declarou que não se sente "tão forte para incluir em sua agenda muitas viagens longas", mas disse que pretende vir ao Brasil no próximo ano para a V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.