Papa é recebido por milhares de católicos em Angola

Dezenas de milhares de católicos de Angola encheram as ruas da capital Luanda para receber a bênção do papa Bento XVI, que cobrou dos fiéis que alcancem e convertam as pessoas que acreditam na bruxaria. "Na Angola de hoje, os católicos devem levar a mensagem de Cristo a muitos que vivem com medo de espíritos, de forças malignas por quem se sentem ameaçados", disse Bento XVI à multidão ontem.

AE-AP, Agencia Estado

22 de março de 2009 | 10h34

Durante uma missa em um estádio de futebol, o papa também pregou uma mensagem de esperança para os jovens, entre os quais alguns mutilados pela guerra civil angolana, que durou de 1975 até 2002. "Eu penso nas muitas lágrimas que vocês derramaram pela perda de parentes", afirmou o pontífice de 81 anos, vestindo uma túnica branca e aparentando cansaço.

O papa também lamentou os problemas provocados por sua visita ao país. Segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, duas mulheres morreram pisoteadas em uma confusão formada após a abertura dos portões do estádio dos Coqueiros, horas antes da chegada de Bento XVI ao local. Outras oito foram hospitalizadas com ferimentos leves e 10 receberam tratamento no local. "O papa está muito triste", afirmou Lombardi.

Tudo o que sabemos sobre:
religiãopapa Bento XVIAngola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.