Papa fala sobre crise e diz que pobres não podem ser esquecidos

Pontífice encerrou neste domingo visita de Estado de quatro dias à Grã-Bretanha.

BBC Brasil, BBC

19 de setembro de 2010 | 18h24

No último dia de sua visita de Estado à Grã-Bretanha, o papa Bento 16 afirmou que os efeitos da crise econômica internacional ainda se fazem sentir e alertou que os pobres não podem ser negligenciados em tempos de "recursos limitados".

Durante um encontro com bispos britânicos na cidade de Birmingham, pouco antes de deixar o país, o pontífice disse que a crise financeira "causou dificuldades a inúmeros indivíduos e famílias" e fez um apelo pela "solidariedade" dos católicos para com os "necessitados".

"O fantasma do desemprego projeta sua sombra na vida de muitas pessoas e os custos de longo prazo de investimentos imprudentes estão muito evidentes", disse.

"Nestas circunstâncias, será necessário apelar novamente para a característica generosidade dos católicos britânicos (...). Os cristãos têm um importante papel em colocar em evidência as necessidades dos pobres e necessitados, que podem facilmente ser negligenciados na distribuição de recursos limitados".

Beatificação

Pouco antes, mais de 50 mil pessoas compareceram a uma missa a céu aberto rezada pelo pontífice em um parque de Birmingham.

A cerimônia foi marcada pela beatificação do cardeal John Henry Newman, teólogo que viveu no século 19 e que deixou a Igreja Anglicana para se converter ao catolicismo.

Durante sua homilia, o papa também lembrou os 70 anos dos ataques aéreos nazistas à Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra e fez uma homenagem às vítimas que resistiram à "ideologia do mal" do nazismo.

No final da tarde deste domingo (horário local), o papa embarcou em um avião que seguiu em direção a Roma, finalizando sua visita de quatro dias à Grã-Bretanha.

Segundo David Willey, correspondente da BBC em Roma, a visita do papa ao país foi classificada como um sucesso pelo Vaticano.

Willey afirma que, apesar dos protestos registrados contra a presença do pontífice, o número de pessoas que compareceram aos eventos papais foi muito maior que o daqueles que se manifestaram.

Federico Lombardi, porta-voz do papa, afirmou que a viagem à Grã-Bretanha foi "maravilhosa" do ponto de vista de Bento 16.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.