Papa faz seu primeiro balanço de visita a Cuba

O papa Bento XVI afirmou ontem, perante cerca de 11 mil pessoas, na audiência pública das quartas-feiras, na Praça São Pedro, que o principal objetivo de sua visita a Cuba foi o de "apoiar a missão da Igreja, que se empenha em anunciar com alegria o Evangelho, apesar da precariedade de meios e das dificuldades ainda a superar para que a religião cumpra seu papel espiritual e formador na sociedade".

JOSÉ MARIA MAYRINK, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2012 | 03h03

Depois de salientar as boas relações existentes entre Cuba e a Santa Sé, Bento XVI reiterou que, como havia revelado ao visitar a ilha, "o papa leva no coração as preocupações e as aspirações de todos os cubanos, especialmente daqueles que sofrem com a limitação da liberdade".

Bento XVI ressaltou a homilia que fez na missa celebrada em Havana, diante do presidente Raúl Castro e de outras autoridades do governo. "Recordei que Cuba e o mundo precisam de mudanças, mas elas somente serão possíveis se cada um se abrir à verdade integral sobre o homem."

Diálogo. Impressionado com as dezenas de milhares de cubanos que o saudaram debaixo de chuva, a caminho do aeroporto, antes de embarcar de volta a Roma, Bento XVI lembrou ter afirmado na despedida que "os diversos componentes da sociedade cubana são chamados a fazer um esforço de colaboração e de diálogo paciente para o bem da pátria".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.