ALBERTO PIZZOLI
ALBERTO PIZZOLI

Papa Francisco critica fabricantes e traficantes de armas

Pontífice pediu que o mundo de hoje não passe pela experiência de um conflito como foi a Segunda Guerra

O Estado de S. Paulo

02 Setembro 2015 | 11h08

CIDADE DO VATICANO - O papa Francisco criticou nesta quarta-feira, 2, os fabricantes e traficantes de armas que, segundo ele, estão "manchados com o sangue de tantos inocentes".

Durante a audiência geral realizada na Praça de São Pedro no Vaticano, Francisco voltou a denunciar o tráfico de armas ao mencionar que nos próximos dias se lembrará na Ásia o final da Segunda Guerra Mundial.

O papa pediu que "no mundo de hoje não se experimentem os horrores e os terríveis sofrimentos de tragédias como esta".

No entanto, Francisco ressaltou que a humanidade segue experimentando conflitos, e lembrou as "minorias perseguidas, os cristãos perseguidos e a loucura da destruição".

"Que não haja mais guerras! Este é o grito de nossos corações, dos corações de todos os homens e mulheres de boa vontade", acrescentou o papa.

Neste mês, o papa Francisco fará visita a Cuba e aos Estados Unidos. /EFE

Mais conteúdo sobre:
armasCubapapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.