Papa Francisco deve visitar favela de Varginha (RJ)

Local foi vistoriado pela equipe de segurança do Vaticano nessa semana; pontífice vem ao Brasil em julho

Clarissa Thomé - Agência Estado

27 de abril de 2013 | 10h57

A favela de Varginha, no Complexo de Manguinhos, é a mais cotada para receber a visita do Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). O local foi vistoriado pela equipe de segurança do Vaticano na quinta-feira (25). Ali há uma modesta capela, a de São Jerônimo Emilliani, onde são realizadas missas aos domingos. Em frente, há um campo de futebol - o que foi levado em conta pela segurança do papa, já que o helicóptero em que Francisco se deslocará pela cidade poderá pousar ali.

Varginha é uma comunidade pequena, ocupada a partir da década de 1940 por migrantes de Minas Gerais e Estados do Nordeste, que construíram suas casas num terreno da Empresa de Correios e Telégrafos. Ali, há 353 domicílios, onde viviam 1.152 pessoas, de acordo com dados do Censo 2010, compilados pelo Instituto Pereira Passos. Francisco deve visitar cinco famílias da comunidade, segundo publicou o jornal O Dia. A informação não foi confirmada pela assessoria da JMJ. A programação oficial será divulgada pelo Vaticano no dia 7.

A região de Manguinhos ficou conhecida como "Faixa de Gaza", por causa dos constantes conflitos e a truculência de traficantes que atuam na região. Em janeiro, ganhou uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), mas o local ainda não pode ser considerado tranquilo. Mês passado, PMs foram acusados de terem provocado a morte de um adolescente, que teria sido imobilizado com Taser, armas de eletrochoque. Houve manifestação e policiais atiraram na direção dos moradores. Três foram afastados. A PM negou usar Taser.

Entre terça-feira e sexta-feira, o responsável pela viagem internacional do papa, Alberto Gasbarri, vistoriou pontos pelos quais Francisco poderá passar. Ele esteve em Aparecida (SP), no Hospital São Francisco de Assis, no Campus Fidei, em Guaratiba, onde ocorrerá a vigília, e em pelo menos cinco favelas da zona norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.