Papa: Homem não está "à mercê de forças obscuras"

O papa Bento XVI disse nesta quarta-feira que o homem não está "à mercê de forças obscuras" e que "o Senhor tem um reino a instaurar" que não é de poder, domínio, triunfo ou opressão, mas de "piedade, ternura e bondade". O Pontífice fez essa afirmação durante a catequese dada a seus fiéis na Sala Paulo VI do Vaticano, na tradicional audiência das quartas-feiras.Joseph Ratzinger disse a seus seguidores: "Não estamos à mercê de forças obscuras, nem estamos sós com nossa liberdade, mas fomos confiantes à ação do Senhor, todo poderoso e amoroso, que tem para nós um desígnio, um reino a instaurar".Depois lembrou as palavras do Salmo 144,1-13. Segundo o papa, "o salmo proclamado hoje é um louvor ao Senhor como soberano amoroso e preocupado com todas as suas criaturas".Ao explicar o Salmo, Bento XVI destacou que seu "centro espiritual" está na palavra judaica que significa "reino". "Sabemos que esta simbologia da realeza, que será central na pregação de Cristo, é a expressão do projeto de salvação de Deus: Ele não é indiferente em relação à história humana, ao contrário, tem o desejo de realizar um projeto de harmonia e de paz", disse.Para Ratzinger, a humanidade inteira está "convocada" a cumprir esse plano, para que se una à vontade de salvação divina, "uma vontade que se estende a todos os homens, a todas as gerações e a todos os séculos". "Uma ação universal, que arranca o mal do mundo e os coloca na glória do Senhor, ou seja, sua presença pessoal eficaz e transcendente", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.