Papa insiste em diálogo com o Islã e rejeita terrorismo

O papa Bento XVI reiterou nesta quinta-feiraa importância que têm no momento atual a promoção do diálogo entreculturas e religiões, especialmente entre o cristianismo e o islã, erejeitou "qualquer forma de terrorismo". A nova referência ao diálogo com o Islã foi feita durante areunião que o papa manteve nesta quinta-feira no Vaticano com o presidente daÁustria, Heinz Fischer, que o convidou a visitar em 2007 o santuáriomariano austríaco de Mariazell. O sumo pontífice aceitou "com muito gosto" o convite. O papa JoãoPaulo II já esteve no santuário em 1983, durante sua primeira viagemà Áustria. "Durante a reunião ressaltaram a importância que a promoção dodiálogo entre culturas e religiões tem no contexto atual mundial, emparticular entre o cristianismo e o islã, e a rejeição de qualquerforma do terrorismo", informou o Vaticano em comunicado. Bento XVI e Fischer analisaram as relações bilaterais, "que sãoboas", e destacaram a "sintonia existente" entre a Santa Sé eÁustria no tema da "identidade cultural e espiritual" da Europa. A reunião se desenvolveu em um ambiente de "grande cordialidade",segundo o Vaticano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.