Maurizio Brambatti/Efe
Maurizio Brambatti/Efe

Papa lamenta 'lobby gay' e corrupção no Vaticano, diz imprensa

Declarações foram feitas pelo Papa Francisco em reunião privada e não foram desmentidas pelo Vaticano

Reuters,

12 de junho de 2013 | 16h06

CIDADE DO VATICANO - O Papa Francisco admitiu a existência de um "lobby gay" e de uma "corrente de corrupção" no Vaticano, segundo relatos da imprensa católica, não desmentidos pelo Vaticano. As declarações foram feitas na semana passada durante reunião privada com representantes da Confederação Latino-Americana e Caribenha de Religiosos (Clar), segundo o site católico chileno Reflexão e Liberação.

Na terça-feira, o site publicou o que seria um resumo da conversa, escrito por participantes após a reunião de 6 de junho no Vaticano. A Clar, com sede na Colômbia, confirmou que o sumário foi escrito, mas lamentou sua divulgação.

Na conversa, o papa aborda vários temas, inclusive os problemas na Cúria (administração vaticana). "Na Cúria há pessoas santas, realmente, há pessoas santas. Mas também há uma corrente de corrupção, há isso também, é verdade ... O 'lobby gay' é mencionado, e é verdade, está lá ... Precisamos ver o que podemos fazer", diz o texto da Clar.

Diante da repercussão do texto, o porta-voz do papa, Federico Lombardi, disse: "Foi uma reunião privada, portanto não tenho comentário a fazer sobre o teor da conversa."

 
Mais conteúdo sobre:
Papa FranciscoVaticanolobby gay

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.