Papa lembra atentado contra João Paulo II

O Papa Bento XVI lembrou neste domingo o atentado que seu antecessor, João Paulo II, sofreu há 25 anos na Praça São Pedro. O pontífice ressaltou que João Paulo acreditava que Nossa Senhora de Fátima havia salvado "milagrosamente" sua vida.Bento XVI fez estas considerações antes da reza dominical do Regina Coeli, que neste período litúrgico substitui o Ângelus, diante de milhares de pessoas reunidas na esplanada vaticana."No dia 13 de maio de 1981, há 25 anos, o servo de Deus João Paulo II sentiu que era milagrosamente salvo da morte pela intervenção de uma ´mão materna´, como ele mesmo disse", afirmou Bento XVI, referindo-se ao atentado que o turco Ali Agca cometeu contra Karol Wojtyla durante uma audiência pública.Dois dos quatro tiros que Agca efetuou atingiram João Paulo II, ferindo-o gravemente."Todo o seu pontificado esteve marcado pelo que Nossa Senhora havia previsto em Fátima", assegurou o Papa, que aludiu à mensagem que três crianças pastoras afirmaram ter recebido de Nossa Senhora em 1917.Aparição Segundo a tradição católica, Nossa Senhora apareceu em 1917 aos pastores e confiou a eles os chamados "segredos de Fátima", que, entre outras coisas, se referiam ao final da Primeira Guerra Mundial, à eclosão da Segunda e ao fim do comunismo."Uma mensagem realmente profética, considerando que o século 20 foi marcado por destruições incríveis, causadas por guerras e regimes totalitários, assim como de perseguições contra a Igreja", ressaltou Bento XVI.Após a reza do Regina Coeli, o Pontífice fez as tradicionais saudações em diferentes idiomas no qual se referiu à comemoração do dia de Nossa Senhora de Fátima e pediu: "Que a oração e a participação freqüente na Eucaristia nos ajude a estar cada vez mais unidos a Cristo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.