Riccardo de Luca/AP
Riccardo de Luca/AP

Papa lembra morte de menino na Venezuela e pede que povo se una

Garoto foi baleado em protesto contra o governo venezuelano; pontífice também lembrou as vítimas da violência na Síria e Iraque

O Estado de S. Paulo

01 Março 2015 | 11h21

O Papa Francisco pediu que o povo da Venezuela se una pelo bem do país, após a morte de um menino de 14 anos, baleado durante um protesto contra o governo. Em Caracas, alguns manifestantes estão alarmados com a repressão a opositores do governo, enquanto outros cidadãos apoiam o governo do presidente Nicolás Maduro.

Francisco citou a morte do menino, que aconteceu em San Cristóbal na semana passada, e pediu que o povo "recusasse a violência". Em discurso a fiéis neste domingo, na praça de São Pedro, o papa afirmou encorajar "a retomada de um caminho para o bem comum do país", e pediu diálogo.

A Venezuela passa por problemas econômicos e sociais. Ativistas da oposição protestam contra a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma.

Em seu discurso, o papa Francisco pediu também que os fiéis rezassem pelas pessoas sequestradas e pelas vítimas de violência na Síria e no Iraque. Mais de 220 cristãos sírios foram sequestrados na semana passada pelo grupo extremista Estado Islâmico. O papa afirmou que quer garantir que as vítimas de sequestros, abusos e outras violências saibam que "não esquecemos deles". Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Violência Venezuela papa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.